EDS Logo Facebook Instagram Youtube

Publicado em 07/02/2020 às 17:11.

Parabólica

O sinal 5G e a parabólica banda C (atualizado)

Telecomunicações

Atualizamos este artigo com as mais informações divulgadas recentemente - 07/02/2020.

O Brasil terá, no fim deste ano, um leilão de frequências para a nova geração de telefonia móvel, a 5G, a ANATEL já acertou todos detalhes e,neste artigo, vamos comentar sobre como o sinal 5G afetará as transmissões da banda C.

Este leilão trouxe algumas preocupações para empresas de satélites, emissoras de rádio, TV e seus telespectadores, pois uma das faixas de frequências incluídas no leilão será a de 3,5 GHz (que começa em 3300 a 3700 MHz), mesma utilizada pela banda C, que é a banda de frequências mais utilizada para transmissões via satélite no país, com milhões de antenas parabólicas de telespectadores domésticos e repetidoras.

A ANATEL anunciou recentemente que pretende utilizar uma banda de guarda para evitar interferências dos sinais 5G nos da banda C, com esta solução, não haveriam custos para o telespectador, já que não haveria troca de equipamentos, porém a banda C será reduzida em 350 MHz (175 MHz em cada polaridade).

banda de guarda seria de 100 Mhz e o 5G ocuparia a faixa que termina em 3700 MHz, ou seja, os sinais da banda C começariam em 3800 MHz e a faixa entre 3625 e 3800 MHz deixaria de ser utilizada no Brasil, porém no exterior ela ainda será utilizada, sendo necessário um LNBf com filtro para ser sintonizada no Brasil.

Após o leilão e antes do inicio das operações das transmissões 5G, os sinais das frequências entre 3625 e 3799 MHz serão migrados para frequências entre 3800 e 4200 MHz, portanto, ocorrerão alterações em frequências dos sinais de todos satélites brasileiros.

No futuro, os sinais poderão utilizar a banda C planejada, de 4500 a 4800 MHz, para ampliar o espaço das transmissões, porém, serão necessários novos satélites em algumas das posições orbitais e alterações nos contratos das operadoras de satélites com a ANATEL, além de adaptarem os LNBfs "domésticos" da banda C para receber a faixa de 3800 a 4200 MHz junto da faixa de 4500 a 4800 MHz, pois ainda não há um modelo "doméstico" que sintonize as duas faixas ao mesmo tempo.

O Inatel (Santa Rita do Sapucaí / MG) desenvolveu uma solução que pode ser incorporada aos LNBfs para minimizar ou acabar com as interferências do 5G, esta tecnologia pode melhorar a recepção dos satélites internacionais que utilizam a faixa entre 3700 e 3800 MHz, porém, ainda não temos informações se ela incorpora outros filtros já existentes (filtro Wimax, por exemplo).

Além da faixa dos 3,5 GHz, também será leiloada a faixa dos 2,3 GHz (que começa em 2300 a 2400 MHz) para utilização em transmissões dos sinais 5G.

Abaixo, seguem algumas perguntas e respotas comuns sobre o que ocorrerá:

Teremos interferência do 5G na antena parabólica banda C?
Infelizmente a resposta é: Sim, especialmente nos satélites internacionais.

Como evitar as interferências do 5G no sinal banda C?
Utilizando um LNBf com filtro ou com as transmissões usando banda de guarda nos satélites brasileiros.

O que é "banda de guarda"?
É um espaço sem uso entre dois sinais, utilizado para evitar interferencias de um sinal no outro.

Há como reduzir estas interferências ou anulá-las na recepção dos satélites internacionais?
Sim, será possível num futuro próximo.

Houveram outros estudos para evitar a interferência?
Sim, porém haveria grande custo para colocar a maioria das soluções em prática.

1- Um dos estudos incluía migrar os sinais da banda C para a banda Ku, mas devido aos custos, isto foi descartado pois exigiria troca de antenas, LNBfs e receptores.

2- Outro estudo foi sobre a migração para a banda C planejada, de 4500 a 4800 MHz, que também exigiria troca de LNBfs, porém, incluindo a troca de satélites e alterações nas autorizações de exploração espacial, gerando alguns conflitos, pois algumas empresas possuem autorização de uso da banda C planejada na mesma posição em que outras possuem da banda C (os satélites dos 65º Oeste, StarOne C1 e Eutelsat 65 West A, são um exemplo).

O 5G ficará limitado às frequencias entre 3.300 e 3.700 MHz na faixa dos 3,5 Ghz?
Por enquanto, sim, ficando limitada a 400 Mhz no leilão da ANATEL, no mundo todo, a faixa exige 400 Mhz para ter latência menor (tempo de comunicação entre o servidor e celular).


Agradecemos a todos colaboradores que participaram do debate, acrescentando informações a esta notícia, em especial ao Lenildo da Silva.

AceitarSairO EDS Blog utiliza cookies e tecnologias semelhantes para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao utilizar nossos nossos serviços, você concorda com o uso destas tecnologias, mais informações.